A expectativa do jovem para o Intercâmbio Agrícola

A expectativa do jovem para o Intercâmbio Agrícola

28/03/2017 16:12:15    |    Intercâmbio Agrícola
14

Um dia, meu professor de química do ensino médio virou e disse: “existem dois grupos: os 95% que são iguais e os 5%, que querem ser diferentes. Em qual deles você quer estar? E desde então, levo essa frase comigo. Nunca pensei em agronomia como primeira opção. Sabe quando você sempre teve algo ao seu lado, mas nunca percebeu? Pois é, foi assim! 

 

Meu amor pela agronomia veio da vivência do meu pai no campo. Nasci e vivi em meio de arranha céus. Mas eu gostava mesmo é do cheiro de terra, de sossego. Estranho para uma pessoa de cidade, não é? Até que achei uma faculdade dentro de São Paulo e com agronomia ainda? Perfeito! 

 

Eu sempre tive anseio por ser uma ótima profissional. No 4o ano, um professor falou: “se fosse para indicar alguém hoje, eu indicaria quem tem o inglês e experiência internacional” E lá vai eu atrás de um intercâmbio para melhorar o inglês. Mas até então, eu já tinha 7 anos de “speaking English” nas costas! Mas vamos pela experiência. Fui! Fiquei um mês na Inglaterra, encantada com aquele país, como eles viviam, aquele sotaque lindo de se ouvir. E foi aí que pensei: nossa, será que existe algo como um intercâmbio agrícola? Tinha. A Caep Brasil. Então o tempo passou e a oportunidade surgiu.


O que eu espero desse meu futuro estágio de 6 meses em Methuen, Massachusetts? Bom, para chegar até aqui não foi fácil, mas sinto que valerá a pena. Conto isso, pois com a vivência na Inglaterra, a gente aprende a se conhecer, a lidar com as dificuldades, com a língua, aprende a se virar. E para os EUA? Espero voltar com um inglês técnico, muito mais prática na área agrícola em horticultura e floricultura, conhecimento da cultura americana, aprender sobre cada detalhe que eles fazem para produção e voltar com um aprendizado maravilhoso! Fazer escolhas não é nada fácil! Largar tudo e todos aqui e ir embora? Mais díficil ainda. Mas tem hora que você tem que pensar no que será melhor para você e na sua vida! O que você quer ser, que tipo de profissional, o que almeja? 
 
Estou ansiosa para ir e para saber como vou voltar! E termino escrevendo o que meu atual chefe, me disse: “Vai e aproveita! Se você sentir dificuldades, pense no quanto isso valerá a pena depois”.

 

Juliana Biguetti Lacerda - Eng. Agrônoma formada pela Faculdade Cantareira em São Paulo.